BRT ou VLT é um debate desfocado, dizem especialistas

15/04/2011

O debate sobre as soluções para a melhoria da mobilidade urbana em Salvador está desfocado. Deveríamos estar preocupados em definir qual o modelo de mobilidade para uma cidade sustentável. A questão é mais complexa do que o debate entre BRT ou VLT. O mais importante não é a tecnologia, mas o sistema de transportes que queremos, como estabelecer uma rede integrada, plural, que utilize diversos modais . A questão não é o projeto, mas o que está por trás dos projetos.

Esta tese foi defendida ontem (dia 14) pelo professor Juan Moreno Delgado (UNEB/UFBA), estudioso de transportes públicos e mobilidade urbana, durante mesa-redonda promovida pelo Observatório da Copa Salvador 2014 (http://www.observatoriosalvador2014.com.br/) e realizada no auditório da Faculdade de Arquitetura da UFBA. O evento contou também com a participação do arquiteto e professor Armando Branco.

Os especialistas afirmam que, ao contrário do que diz a propaganda otimista de políticos e governantes, estamos perdendo o bonde da Copa 2014 quanto à implantação de estruturas urbanas definitivas na cidade de Salvador. A Copa deixa de ser a “janela de oportunidades” alardeada por uma razão básica: a falência do planejamento urbano de natureza pública faz com que a cidade não tenha projetos consistentes para aproveitar o volume de recursos disponíveis para os investimentos. O planejamento adquiriu caráter privado e está centrado apenas na questão da ampliação do aeroporto, do porto, da rede hoteleira e de um corredor de tráfego entre o aeroporto e a Arena Fonte Nova.

Tanto Juan Delgado quanto Armando Branco explicaram que o modelo de sistema de transportes está umbilicalmente ligada às questões de uso e ocupação do solo. As vias de transporte são decisivas no estímulo e ordenação (ou desorganização) da ocupação do solo urbano. Do modo como está sendo projetado o uso dos investimentos para a Copa, com o foco exclusivo no corredor Aeroporto-Arena Fonte Nova, a tendência é aumentar os problemas com a mobilidade urbana da cidade. “Estamos jogando gasolina no incêndio” resumiu Delgado.

Eles defenderam a implantação de uma rede integrada, plural, que aproveite o potencial dos diversos modais de transporte público – ônibus, trem, metrô, veículos leves sobre trilhos, bicicletas – e o desestímulo ao uso do automóvel. Armando Branco lembrou que Salvador tem atualmente 430 mil automóveis em circulação e que a cada dia 100 novos veículos são adicionados ao tráfego urbano.

Normal
0
21

tem atualmente 430 mil automóveis em circulação e que a cada dia 100 novos veículos são adicionados ao tráfego urbano. Ele defendeu o modal ferroviário – veículos sobre trilhos – como o prioritário, a fim de reduzir o número de automóveis em circulação.

Anúncios

7 Respostas to “BRT ou VLT é um debate desfocado, dizem especialistas”

  1. Bau Carvalho Says:

    Concordo plenamente !

    O problema maior é mesmo:
    “a falência do planejamento urbano de natureza pública faz com que a cidade não tenha projetos consistentes para aproveitar o volume de recursos disponíveis para os investimentos.”

    Mas de qualquer modo, mesmo míope e desfocadamente,
    haverá uma escolha setorial nesse momento,
    e não deixa de ser uma oportunidade de tentar
    minar um dos monopólios enraizados em nossa cidade.

    E de certa forma, essa questão do transporte intermodal, de rede integrada,
    já é consenso, mais do mesmo !
    O que faltam são realizações a respeito,
    e como estrutura plural, cabe ir adicionando os modais progressivamente !!!
    Não dá para fazer uma estrutura dessa em apenas um momento,
    inclusive deve-se aproveitar o que já existe !!!

    Os ônibus já estão aí, precisa-se criar outro modal,
    e há uma oportunidade agora !

    Aí reside a importância dessa mobilização !


  2. Entendemos que o mais importante é a integração de todas as possibilidades de transporte possível (metrô, vlt, ônibus, táxi, bicileta, passarela, andar a pé etc), mas, neste momento, há uma definição entre dois modelos que, adotado um deles, viveremos uma eternidade com ele: O VLT e o BRT.

    Acontece que o BRT já surge ultrapassado, os próprios idealizadores dizem que ele deve ser instalado até a copa do mundo e depois há de pensar em VLT ou metrô.

    Por isso é que defendemos o VLT.

    http://vltemsalvador.blogspot.com/


  3. A questão em torno do BRT X VLT,não deve ser tratado como um debate desfocado.Desfocado e disfarçado são os argumentos utilizados por aqueles que defendem o uso do BRT alegando que o tempo e o dinheiro são curtos para a implementação de um sistema como o VLT.Ora não se pode caminhar por esse raciocino absurdo de que o tema da Mobilidade Urbana Sustentável de Salvador se resume unica e exclusivamente a copa de 2014 como se a cidade fosse apenas um grande palco preparado para uma grande festa e após o encerramento da mesma a cidade fechasse as suas portas.A copa passara e a cidade continuara com todos os seus problemas corriqueiros.( No carnaval a cidade recebe mais de 800 mil visitantes com esse horroroso e precário sistema de transportes por ônibus,na copa de 2014 faz-se uma projeção para mais ou menos 100 mil visitantes portanto esse argumento é irrelevante) Muito menos devemos aceitar os frágeis argumentos do prefeito que devido ao tempo escasso Implantaremos primeiro o BRT depois então pensaremos numa solução melhor.De onde vira o dinheiro para essa farra toda?faz-se um paliativo(caro) para depois então se corrigir o erro?!!!!!Na verdade o que se quer, a prefeitura e o SETPS, é garantir e defender o OLIGOPÓLIO viciado sem licitação a quase 20 anos em detrimento do interesse do povo e da cidade.Temos que pensar sim num sistema a medio e longo prazo (que dure pelo menos 40 anos)totalmente integrado Metro VLT Trens(integrando a Estç. da Calcada aos Terminais principais da cidade e as estações intermediárias aos Bairros adjacentes)Onibus e estações de automáticas de bicicletas ( retirada e entrega através de cartão eletrônico) espalhadas pela cidade, e todo sistema com tarifa unica eletronica por hora e não mais por intinerário.O debate e consistente e necessário até mesmo obrigatório por uma questão de exercício cidadania,pois depois de cometido o erro custará muito caro para todos nos CONTRIBUINTES a sua correção.Implantar um sistema de BRT numa cidade com mais de 500 mil habitantes é comprovadamente e tecnicamente um lastimável erro e uma grande BURRICE-Pregopontocom


  4. Vejam o que pensa o Renomado Arquiteto Urbanista e Prf. Roberto Cortizo sobre o tema BRT x VLT – http://pregopontocom.blogspot.com/p/voz-do-leitor-fale-conosco.html

  5. Marcos Palacios Says:

    Não me surpreende, em absoluto, esse tipo de desdobramento. Caminhamos rapidamente para a paralisação, em termos de fluxo viário. A destruição ambiental da Paralela e áreas de dunas, através da desenfreada especulação imobiliária, aliada à estupidez de quem compra imóveis nessas áreas, é uma das lamentáveis consequências da absoluta falta de controle sobre a ocupação do solo.As populações mais pobres continuam desassistidas em termos de mobilidade e acho até ingênuo que se possa acreditar que a Copa serviria para algo mais que pretexto e oportunidade para as usuais falcatruas lucrativas.
    O Metrô de Salvador é o que todos sabemos: motivo de riso universal, escoadouro de dinheiro público, absoluta vergonha.
    Fica minha sugestão para finalizar JÁ as obras do ridículo Metrô: transformá-lo em uma ciclovia. Poderia ser a primeira atitude realmente produtiva no que diz respeito à mudança de atitude nesta Cidade com respeito ao transporte público.
    E seria o primeiro do Mundo!
    Finalização do Metrô já! Metro-Ciclovia!
    Quem vai encampar esta campanha?

  6. Fernando Alcoforado Says:

    Concordo com a tese de que o debate BRT ou VLT está desfocado. Antes de tudo, é preciso que, junto com os poderes públicos, a Sociedade Civil Organizada de Salvador e de seu entorno metropolitano se manifeste sobre o futuro que deseja construir para todas as cidades da RMS com base no qual se delinearia um plano de desenvolvimento para a região metropolitana e de mobilidade urbana que deveria contemplar todos os modais de transporte.


    • Mais é justamente esse o nosso propósito,provocar um debate que estava sufocado pela pretensão antecipada da prefeitura e do SETPS que juntos ja davam como favas contadas a manutenção desse nocivo oligopólio para a cidade e o povo de Salvador.Levantamos a bandeira provocamos a discussão e o debate,portanto existe um FOCO sim e muito importante que é a MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL PARA SALVADOR


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: