Documentário sobre Dom Pedro Casaldáliga estréia na Jornada

13/09/2011

 

Nesta terça-feira, no Cine-Teatro do ICBA, 18h,  Sessão Especial: Passageiros da UTOPIA – 1ª. parte do filme Romaria dos Martires da Caminhada (Com Dom Pedro Casaldaliga), de Pedro Ortiz, Giuliano Tourino e Marco Brige.

Por Sandro Santana, do Jornal da Jornada

 “No seio de Maria, Deus se fez homem, e na oficina de José, Deus se fez classe” - D.Pedro Casaldáliga

Catalão de Barcelona, Dom Pedro Casaldáliga veio para o Brasil em 1968 e se embrenhou na Amazônia, entrou em choque com os interesses dos latifundiários, empresas agropecuárias, mineradoras, madeireiras e políticos,  combateu o trabalho escravo e foi inúmeras vezes ameaçado de morte. Em “Passageiro(s) da Utopia”, os documentaristas Pedro Ortiz, Giuliano Tourino e Marco Brige abordam a trajetória do bispo-emérito de São Félix do Araguaia, suas idéias, ideais, sua luta, o seu trabalho incansável em defesa dos povos indígenas, dos trabalhadores sem terra, posseiros, mulheres, negros e comunidades marginalizadas no Brasil e em outros países da América Latina. O filme será exibido na Sala Walter da Silveira, no dia 12 de setembro, às 18 horas.

O filme, ainda em fase de finalização, é dividido em três partes. Nesta edição da Jornada será exibido apenas a primeira parte, “Romaria dos Mártires da Caminhada”. Esta primeira parte, que tem 22 minutos de duração, retrata a marcha realizada a cada cinco anos em Ribeirão Cascalheira (MT) ao Santuário dos Mártires. A Romaria dos Mártires da Caminhada, que teve sua primeira edição em 1986, é organizada em mutirões, que acolhem em Ribeirão Bonito, romeiros de diversas localidades que seguem por mais de três quilômetros até o santuário/memorial, construído para lembrar não só a morte do padre João Bosco Penido Burnier, morto por soldados no dia 12 de outubro de 1976, ao tentar interceder contra tortura de duas mulheres sertanejas presas injustamente em uma delegacia de Ribeirão Cascalheira (MT), como também em homenagem a todos os combatentes e mártires das causas populares. O padre que acabara de chegar e trabalhava com os índios Bakairi, recebeu um soco, uma coronhada e um tiro fatal na nuca.

Segundo Ortiz, a produção e gravação do documentário iniciaram em 2006 e as duas partes restantes do filme serão editadas ainda este ano. “Passageiro(s) da Utopia” é uma co-produção da TV USP, Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e Photofonia Produções.  Programação completa da J aqui: http://www.jornadabahia.com/2011/38_p13.htmlornada

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: