Festival de Filmes UraniumBA – 27 a 30 de setembro

20/09/2011

Um dos destaques é o programa da “Quartas Baianas Especial”, dia 28 de setembro, na Sala Walter da Silveira, às 20h, com o lançamento do filme “O Futuro Irradiante do Brasil – A Exploração do Urânio em Caetité”, produção alemã, 2011, 43 min, Direção de Ralph Weihermann e Susanne Fries.

O filme foi realizado em colaboração com entidades que atuam em Caetité, e que denunciam abusos cometidos pela INB – Indústrias Nucleares do Brasil, empresa que há 20 anos iniciou o projeto para minerar urânio em Caetité.

Programação – Depois de circular por algumas capitais brasileiras, chega em Salvador o Uranium em Movimento, festival de filmes sobre a temática nuclear, vários filmes sobre o Césio, sobre questões ambientais e mudanças climáticas. Veja aqui a programação: Aqui Programação

Na terça-feira (27) será lançado o Instituto Memória Roberto Pires, no CineCena UniJorge, às 20h, com a exibição de Abrigo Nuclear, ficção de Roberto Pires, realizada em 1981, 95 min. O filme é uma ficção científica ambientada num abrigo nuclear subterrãneo,construído para preservar a espécie humana da radiação ionizante responsável pela contaminação da superfície terrestre.

As exibições dos filmes serão realizadas no CineScience (Aeroporto), Sala Walter da Silveira, CineCena UniJorg e Cineclubes.

APRESENTAÇÃO

Existem hoje cerca de 450 reatores nucleares, que produzem aproximadamente 15% da energia elétrica mundial. A maioria deles está nos Estados Unidos, na França, no Japão e nos países da ex-União Soviética. Somente no Japão há 55 deles.

A “idade de ouro” da energia nuclear foi a década de 1970, em que cerca de 30 reatores novos eram postos em funcionamento por ano. A partir da década de 1980, a energia nuclear estagnou após os acidentes nucleares de Three Mile Island, nos Estados Unidos, em 1979, e de Chernobyl, na Ucrânia, em 1986. Uma das razões para essa estagnação foi o aumento do custo dos reatores, provocado pela necessidade de melhorar a sua segurança. Com a queda do custo dos combustíveis fósseis na década de 1980, eles ficaram ainda menos competitivos. O custo da instalação de um reator nuclear triplicou entre 1985 e 1990.

Em março de 2011, aconteceu o terceiro grande acidente nuclear, desta vez no Japão.

Será que este novo acidente será suficiente para se reavaliar as vantagens e desvantagens de se utilizar reatores nucleares?

Essa reavaliação é particularmente importante para os países em desenvolvimento, como o Brasil, que tem outras opções – melhores sob todos os pontos de vista – para a produção de eletricidade, que são as energias renováveis. A Alemanha já anunciou o abandono da energia nuclear e a França considera fazer o mesmo.

E você, o que pensa sobre isso?!?!

Fonte: http://uraniumba.blogspot.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: