II Cachoeira Doc – Festival de Documentários de Cachoeira – 7 a 11 de dezembro

30/11/2011

“Marighella”, o filme documentário de Isa Grinspum Ferraz, será exibido ao ar livre em Cachoeira, na abertura do Cachoeira Doc na próxima quarta-feira, 7 de dezembro. O líder comunista faria 100 anos no próximo dia 5 de dezembro, se estivesse vivo. A exibição do filme em Cachoeira , no Largo D’Ajuda, às 19h30min, contará com a presença da diretora e de familiares de Marighella.

Carlos Marighella atuou nos principais acontecimentos políticos do Brasil entre 1930 e 1969, e foi considerado o inimigo número 1 da ditadura militar. Comunista, estrategista político, guerrilheiro, foi vítima de prisões e tortura. É autor do mundialmente traduzido “Manual do Guerrilheiro Urbano”. Para além da dimensão da luta política, o filme procura responder à pergunta: quem foi esse homem, mulato baiano, poeta, sedutor, amante de samba, praia e futebol, cujo nome foi por décadas impublicável? Dirigido por sua sobrinha, Marighella constrói afetivamente a história deste homem que dedicou sua vida a pensar o Brasil e transformá-lo através de sua ação.

Os organizadores do Cachoeira Doc anunciam uma sessão especial no encerramento do evento, dia 11 de dezembro, também no Largo D’Ajuda, quando acontecerá a premiação da Mostra Competitiva e uma intervenção artística na fachada das casas e igreja acompanhada de música. A proposta é criar uma performance visual com o filme “O Homem com a Câmera”, do cineasta russo Dziga Vertov e com fragmentos de vídeos realizados por alunos do curso de Cinema e Audiovisual.

O festival, talvez o único do Brasil exclusivamente dedicado ao documentário, apresentará um panorama do documentário brasileiro por meio de quase trinta filmes produzidos nos últimos dois anos. Além disso, ofertará um Ciclo de Conferências, a Mostra Agnès Varda, a Mostra de Documentários Experimentais e as Sessões Especiais.

“Ser Tão Cinzento”, de Henrique Dantas é o filme de abertura da Mostra Competitiva Nacional, na quinta-feira (8), às 14h30min, no Auditório da UFRB. É um filme sobre um filme e um cineasta baiano, Olney São Paulo e o seu “Manhã Cinzenta”, uma das mais belas e contundentes obras cinematográficas produzidas no Brasil, que levou à prisão e morte do cineasta.

08 de dezembro (quinta-feira)
14h30 | Auditório

Ser Tão cinzento (Henrique Dantas, Bahia, 2011, 25′)

Meia hora com Darcy (Roberto Berliner, Rio de Janeiro, 2011, 30′)
O último depoimento filmado do antropólogo e político Darcy Ribeiro apresentado sem cortes.

Coutinho Repórter (Rená Tardin, Rio de Janeiro, 2010, 25′)

Eduardo Coutinha reavalia a sua passagem pelo Globo Repórter.

Terrorista (César Meneghetti, São Paulo, 2009, 29′)
A história do professor Percy Sampaio Camargo acusado de terrorista pela ditadura militar, em 1969, exilado político sem que jamais tenha cometido algum crime.

17h | Auditório
Praça Walt Disney (Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira, Pernambuco, 2011, 21′)
Boa Viagem, Recife PE, 51111-260, Brasil.

A Dama do Peixoto (Douglas Soares e Allan Ribeiro, Rio de Janeiro, 2011, 11′)
Ela está aqui, ela está ali, e os invisíveis são os outros.

Vigias (Marcelo Lordello, Pernambuco, 2010, 71′)
Enquanto dormimos, outros vigiam.

09 de dezembro (sexta-feira)

14h30 | Auditório
Adormecidos (Clarissa Campolina, Minas Gerais, 2011, 6′)
Por toda a parte, quando anoitece, luzes e cartazes publicitários tornam-se os únicos seres com vida entre as ruas inertes. Seres que nunca se encontram, desconhecidos quase exatamente iguais.

O céu sobre os ombros (Sérgio Borges, Minas Gerais, 2010, 71′)

Histórias inventadas pela vida entre o cotidiano, o exótico e a marginalidade. Gesto para revelar o quanto somos todos tão humanos, e quão semelhantes são nossos medos e desejos.

17h | Auditório
Sala de milagres (Cláudio Marques e Marília Hughes, Bahia, 2011, 13′)
Um dia e uma noite na romaria de Bom Jesus da LapA.

O filme que eu fiz para não esquecer (Renato Gaiarsa, São Paulo, 2011, 4′)
Durante uma viagem ao Uruguai, ele filmou sua namorada. Depois que se separaram, retornou a São Paulo e filmou o apartamento vazio onde os dois moravam. Como resultado, fragmentos da memória de um romance.

Hoje tem alegria (Fabio Meira, São Paulo, 2010, 26′)
O filho de um alfaiate fugiu para ser malabarista. Um mágico aposentado vê sua trupe ruir. Uma ex-trapezista será avó pela primeira vez. Fogo, facas, silêncio, aplausos. No circo, eles viram o mundo.

Rota (Leon Sampaio, Bahia, 2011, 25’)

Cabelo ao vento, música alta, rodovia esburacada. Estradas, veredas, caminhos. Sertão, Maranhão, Amazonas. Brasis. Américas. Panaméricas de Áfricas Utópicas. O rio é como uma estrada, terra é água, gente é peixe. Sertanejos, ribeirinhos, mochileiros. Dois jovens em curso, memórias e devaneios.

A poeira e o vento (Marcos Pimentel, Minas Gerais, 2011, 18’)
Interior do estado de Minas Gerais. Uma pequena vila no meio do nada. Isolamento. Montanhas. Silêncio. O homem. A paisagem. O tempo.

10 de dezembro (sábado)
14h30 | Auditório

Acercadacana (Felipe Peres Calheiros, Pernambuco, 2010, 20′)
Nos anos 90, com a valorização do etanol e a expansão do latifúndio canavieiro, 15 mil famílias foram expulsas dos seus sítios na zona da mata de Pernambuco. Maria Francisca decidiu resistir.

Entre Vãos (Luísa Caetano, Distrito Federal, 2010, 20′)

No Vão de Almas, dos quilombolas Kalunga, Cavalcante (GO). Lizeni é uma menina kalunga de dez anos; é quem conduz nosso olhar por entre as brincadeiras de infância, o mundo adulto dos pais, a relação da família com a cidade mais próxima, além de nos revelar sonhos em contraposição à realidade do cotidiano em família.

Bicicletas de Nhanderú (Ariel Ortega e Patrícia Ferreira, Pernambuco, 2011, 45′)
Uma imersão no cotidiano e na espiritualidade dos Mbya-Guarani da aldeia Koenju, em São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul.

17h | Auditóriohttp://cachoeiradoc.com.br

Anúncios

Uma resposta to “II Cachoeira Doc – Festival de Documentários de Cachoeira – 7 a 11 de dezembro”

  1. nanna Says:

    O pessoal de Salvador que quiser conhecer um pouco melhor o trabalho de César Meneghetti, autor de TERRORISTA do Cachoeira DOC, é só ir na Galeria Acbeu http://thisorient.blogspot.com/


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: