Sem ilusões

20/05/2012

Por Haroldo Abrantes

Tenho lido alguns bons textos sobre futebol aqui neste blog. No último sábado assisti cerca de 20 minutos da transmissão da final da Liga dos Campeões da Europa, até começar uma conversa sobre a cartolagem dos dois times que se enfretavam , o Chelsea, da Inglaterra e o Bayern de Munique, Alemanha. O debate abordava a preferência dos locutores para o Bayern, já que este é administrado aos moldes antigos, com diretoria e associados, não como o moderno Chelsea, time pertencente a um único empresário de nacionalidade russa. O repórter escalado para abastecer a transmissão com informações extra e intra campo deu o golpe de misericórdia sugerindo que o dinheiro do empresário russo poderia estar ligado à máfia do petróleo. Nesse momento desliguei a TV e respirei aliviado por me livrar de tanto obscenidade.

O futebol é o ópio do povo. Claro que não, o futebol é o ópio da humanidade. Só pensando assim para acreditar que tenha alguém que não saiba que o futebol se transformou em máquina capitalista. Alguns times rendem muito para seus donos e outros rendem muito mais. Daí pergunto, para trazer a discussão aqui para nossa cidade, quem é o dono do Bahia, e do Vitória. Não é a torcida, claro. Torcedor é o consumidor do produto futebol, torcedor é aquele que compra o produto Bahia S.A., Vitória, S.A. Compra aos poucos, na hora que compra a camisa, na hora que compra a cerveja do patrocinador, na hora que liga a TV. E esse dinheiro vai parar onde? Sei, no salário dos craques, e na dispendiosa engrenagem necessária para colocar o time na elite do futebol nacional. Para tudo isso é preciso muito dinheiro para nossos padrões de consumo.

Dinheiro não nasce em árvores, saí de algum lugar. Do bolso dos consumidores, é claro. E daí, qual é o problema. Todo mundo sabe que os empresários ganham dinheiro com o futebol, se não fosse assim, eles estariam fazendo filantropia. Todo mundo sabe disso e continuamos gastando nosso dinheiro com o futebol. Aprendi desde pequeno, com minha mãe, a sofrer por um time de futebol. Sofrer sim, porque nenhum time do mundo ganha mais do que perde, a diferença é brutal. Ontem li que meu time não ganha o campeonato nacional há mais de trina anos. A despeito dos três títulos nacionais conquistados, meu time perdeu muito mais títulos nacionais do que conquistou. Vejamos a seleção nacional penta campeã mundial. Ganhou cinco copas, e perdeu quantas? Galera, futebol é sofrimento. E dirigente é dirigente. Se considerarmos que os torcedores ficam felizes em torcer pelo seu time então descobrimos uma dimensão da vida em que ninguém perde. Todo mundo ganha. Uns alegria, outros dinheiro. É assim com qualquer time grande. Sem ilusões, beleza.

O motivo que me levou a escrever este texto, não foi nada sério, mas tinha que desabafar depois daquele papo babaca dos locutores da televisão querendo me convencer que uma forma de administrar times, ganhar dinheiro com times de futebol, era melhor que a outra, porque era tradcional. Ô meu, fala sério. Empresário é empresário em qualquer canto. Máfia é máfia em qualquer lugar. Pela internet descobri que o Chelsea foi o campeão.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: