Vidas Secas, Nelson Pereira dos Santos, 1963

08/06/2012

No mesmo ano que Linduarte Noronha traz à luz o filme Aruanda (1960), Nelson Pereira dos Santos está no Nordeste para filmar Vidas Secas, baseado no romance de Graciliano Ramos. Mas a chuva verdeja a caatinga levando Nelson a filmar de improviso Mandacaru Vermelho. Vidas Secas viria só em 1963 e dialoga fortemente com a luz de Aruanda. Filme indispensável na cinemateca do cinema mundial.

Uma resposta to “Vidas Secas, Nelson Pereira dos Santos, 1963”

  1. PIERRY Says:

    Caso emblemático de tema, talento, olhar arguto e contexto de produção no momento e lugar mais que certos: a bendita luz, crua e estouradaça, de Barretão e Waldemar Lima, Átila Iório e Maria Ribeiro, baiana, soberbos, e, de quebra, a melhor interpretação animal das nossas telas, com a cadela Baleia (depois da curiosa lagartixa Catarina, que Nelson nos apresentara em Rio 40 Graus). Guido Araújo guarda boas histórias do réptil nos set de filmagens montado, salvo engano, na Quinta da Boa Vista..


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: