Filme contará a história do quilombo Rio dos Macacos

01/05/2015

DSC_4461

O filme documentário Quilombo Rio dos Macacos, em processo de montagem, contará a história da comunidade e da sua luta. O quilombo reúne cerca de 50 famílias de agricultores e pescadores na divisa das cidades de Salvador e Simões Filho (BA). No final da década de 1950 e início de 60 as fazendas em que viviam aquelas famílias foram doadas à Marinha do Brasil.

A partir dos anos 1970, com a construção da Vila Naval da Barragem, condomínio residencial de suboficiais da Marinha, em área da Fazenda Macaco, começaram os conflitos, que só fizeram recrudescer nos últimos anos.

Em 2009 a Marinha obteve na justiça decisão favorável a uma ação de despejo. O Juiz Federal Evandro Reimão dos Reis, 10a. Vara, determinou o cumprimento de ação de despejo sem ouvir a parte dos agricultores. Antes mesmo da tentstiva de cumprir a ação, a Marinha tomou várias medidas para estrangular a comunidade: a proibiu de plantar, colher, reformar ou construir as casas, somando-se isto às medidas anteriores de proibir o acesso à luz elétrica, água encanada, saneamento básico e, o mais elementar, o direito de ir e vir.

A ação de despejo não foi cumprida graças à mobilização da comunidade e de seus aliados, inclusive dentro do governo. O governo federal ficou dividido: Seppir/FCP e Incra buscaram defender os interesses da comunidade, porém a Marinha, a AGU e outros atuaram contra a comunidade.

Em 2011 lançamos no YouTube o curta Quilombo Rio do Macaco:

https://www.youtube.com/watch?v=bwUXjUzqU6w (feito em colaboração com Gabriel Teixeira, Tatu, Igor Caiê Amaral, AATR, SAJU, divulgado pelo sítio Bahia na Rede) que teve papel destacado na divulgação do problema e contribuiu com a formação de uma rede de solidariedade aos quilombolas, organizada por entidades dos movimentos negros, como CDCN/BA, Quilombo X, Campanha Reaja, Movimento de Pescadores e muitos outros.

Apesar das resistências da Marinha, em 2012 o Incra conseguiu fazer o Relatório Técnico de Identificação e Delimitação (RTID), indicando o tamanho da área, reconhecendo a condição quilombola da comunidade, que recuperou o direito de plantar, colher e morar, apesar de todas as pressões em contrário, inclusive a proibição de recuperar e/ou construir moradias.

O Ministério Público acompanha a questão desde 2011 e tem dado contribuições para fazer avançar o processo. Inclusive obteve decisão judicial a fim de publicar o RTID, condição sine qua non para a produção dos efeitos legais. Finalmente o RTID foi publicado no final de 2014, porém garantindo apenas 1/3 da área delimitada no RTID. Ficaram de fora da area todas as reservas de água do território.

Ao longo dos últimos quatro anos fizemos extensa pesquisa e registro de atividades da luta dos quilombolas: negociações e conflitos ocorridos no quilombo, em órgãos públicos de Salvador e de Brasília. Em 2014 o projeto recebeu apoio do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, que possibilitou outros registros da luta e também de aspectos culturais, simbólicos, religiosos e diversos elementos da paisagem do território.

Para a montagem do filme coletamos materiais produzidos também por outras fontes de registro, muitas delas veiculadas na Internet; e também materiais exclusivos, gravações feitas pelos próprios quilombolas com celulares e máquinas precárias. Reunimos 150 horas de gravações de áudio e vídeo que se encontram, neste momento, na fase de montagem, a cargo de Cristina Amaral, montadora do primeiro time do cinema brasileiro, que está preparando integralmente o filme para a finalização.

3 Respostas to “Filme contará a história do quilombo Rio dos Macacos”

  1. José Says:

    como faço para ver este filme sobre o Quilombo Rio dos Macacos.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: