Posts Tagged ‘Marinha’

Marinheiros agridem quilombola de Rio dos Macacos no sábado à noite dentro da Vila Naval

02/08/2015

 

Sobrinho de Rose 4

Evanildo Souza dos Santos, 17 anos, sobrinho da líder quilombola de Rio dos Macacos, Rosemeire Santos Silva  sofreu diversas agressões, por volta das 22h de sábado (1/08), no interior da Vila Naval da Barragem. Foram escoriações em diversas partes do corpo e um corte profundo na cabeça.

De acordo com Rosemeire a violência contra o menor foi praticada por cerca de 20 militares – parte deles estava fardada e outra parte à paisana. No momento da agressão, Evanildo estava acompanhado do pai, Edson dos Santos, do tio, Ednei dos Santos e de um irmão, Ivan, de 14 anos.

– Eles estavam voltando para casa, quando foram abordados pelos militares. Meu sobrinho foi acusado de ter tentado agredir a filha de um morador da Vila Naval e de tentar assaltar casas de militares. Isto é um absurdo, mentira, garantiu Rose.

Ela conta também que depois de ter sofrido a agressão, o garoto ficou desaparecido por algum tempo e seus familiares temeram que tivesse sido assassinado. Algum tempo depois, foi visto no interior de uma viatura policial, na portaria da Vila Naval, todo ensanguentado. Os policiais disseram a ela que foram chamados por militares da Marinha, sob a alegação de que havia “quatro vagabundos dentro da Vila Naval” que deveriam ser presos.

Depois de esclarecido que todos eram moradores do quilombo, o rapaz foi levado pelos policiais ao Hospital do Subúrbio e recebeu pontos no corte feito na cabeça. Os familiares de Rose e os policiais foram para a Delegacia do Menor, em Brotas, onde registraram queixa. A garota supostamente ameaçada pelo menor foi à Delegacia também e negou as acusações contra o menor desferidas pelos militares.

Sobrinho de Rose 2

Sobrinho de Rose 3

Sobrinho de Rose 4

Procurador-chefe da AGU na Bahia foge pelo fundo do prédio sob proteção de policial federal

06/03/2013

quilombo1_0

Por Josias Pires

O procurador-chefe da Advocacia Geral da União (AGU) no Estado da Bahia, Maximilian Torres Santos de Santana, saiu nesta quarta-feira (6) à tarde pela porta dos fundos do prédio da AGU, sob proteção de policial federal armado, para evitar reunir-se com uma comissão de representantes dos quilombolas do rio dos Macacos e movimentos sociais que os apoiam, a exemplo da CUT, MST, Movimentos de Pescadores, Movimento de Mulheres, Pastoral da Pesca, Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN) e outros. Descoberto na fuga por alguns dos presentes no ato, o policial apontou a arma para um grupo de pessoas que tentou impedir a fuga. Continue lendo »

Marinha veta leitura dramática na comunidade de rio do Macaco

08/07/2012

Luciene Silva, mãe de oito filhos, nascida e criada no local foi proibida de entrar pois seu nome havia sido retirado do cadastro na guarita da Vila Militar.

Por Josias Pires

A leitura dramática que o Bando de Teatro Olodum faria neste domingo pela manhã (8) na comunidade quilombola do rio do Macaco foi frustrada pela Marinha do Brasil sob a justificativa de que os organizadores da manifestação cultural não haviam informado à Força sobre o ato no local.

Mas se o programa previsto não foi realizado, o momento propiciou um rico encontro de pessoas de movimentos sociais, artísticos e culturais em favor do respeito pleno aos direitos humanos fundamentais para aquelas pessoas que sofrem no corpo a herança colonial, escravista, militarista, autoritária tão marcante na história do Brasil. Continue lendo »

Bando de Teatro Olodum Somos Quilombo Rio do Macaco

28/06/2012

Bando de Teatro Olodum fará leitura dramática de Candaces a Reconstrução do Fogo para garantir a permanência da Comunidade em seu território. O ato ocorrerá no domingo 8 de julho, às 10h, em freente a entrada do posto de gasolina “Inema”, Aratu, Simões Filho.

O espetáculo original é uma criação coletiva da Companhia dos Comuns, dirigida por Marcio Meirelles, baseada em pesquisa histórica e cultural sobre mulheres negras contemporâneas a antigas guerreiras africanas.

CANDACES – A reconstrução do fogo alterna coreografia inspirada nos ritos e referências à história mítica das Candaces, que viveram antes da Era Cristã, com conflitos entre um grupo de personagens contemporâneas em cujo centro está a figura da mulher, seu parceiro, seus filhos e familiares. O texto é construído a partir de pesquisa, de experiências pessoais de cada ator e de depoimentos recolhidos de 28 mulheres, enfocadas no espetáculo como ‘candaces contemporâneas’. Depois de duas temporadas, o espetáculo faz duas apresentações, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, em 20 novembro de 2004, data da comemoração do Dia Nacional da Consciência Negra.

Leve um quilo de alimento não-perecível.

VAMOS TODOS AO QUILOMBO RIO DOS MACACOS!

SERVIÇO

O QUÊ: CANDACES – A reconstrução do fogo (Leitura dramática pelo Bando de Teatro Olodum)

ONDE: Quilombo Rio dos Macacos. BA 528, entrada em frente ao posto de gasolina Inema – Aratú, Simões Filho – BA. Clique aqui para pedir uma carona.

QUANDO:Domingo (08.07) às 10h

Infotrmações do site do Movimento Desocupa
http://movimentodesocupa.wordpress.com/2012/06/29/candaces-a-reconstrucao-do-fogo/

Marinha acusada de violaçao de direitos humanos

04/06/2012

Balas recolhidas pelos agricultores próximo às suas casas. Foto Guellwaar Adún

– É uma vergonha para um país que se deseja democrático o que estamos vendo aqui. É uma vergonha para todos nós que lutamos por um país cidadão. Vamos atuar para que o governo tome medidas imediatas. A Constituição é clara. É dever do estado reparar um pouco das violências praticadas contra a população negra,  desabafou nesta segunda-feira (4) o deputado federal maranhense Domingos Dutra (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, que passou o dia em Salvador apurando denúncias de violação de direitos humanos por parte da Marinha contra agricultores da comunidade quilombola Rio do Macaco.

Continue lendo »

SOS Rio dos Macacos

28/05/2012
Publicado por Vilma Reis, no facebook
MARINHA DO BRASIL ACABA DE CERCAR A CASA DE UM MORADOR DE RIO DOS MACACOS E AMEAÇA DERRUBAR –

Todas as instituições responsáveis por esta situação precisam se pronunciar, pois todos o poderes, leis e instituições do país estão em funcionamento e elas valem como ordemamento juridico também para a Marinha do Brasil.

A casa deste morador foi muito abalada com as chuvas que cairam em Salvador nos últimos dias , tem várias familias morando dentro da mesma casa, porque a Marinha não permite construção nova e nem reforma, e por isso o morador tentou fazer uma reforma para garantir a permanência das pessoas no imovel.

Estamos ligando para todas as autoridades implicadas neste caso. Que não ocorra uma tragédia hoje no quilombo Rio dos Macacos. A tropa está sob comando de um oficial que já colocou a arma na cabeça de uma moradora idosa da Comunidade, e por isso o medo das pessoas que lá estão presenciando a situação.

Compartilhar · há ± 1 hora ·

Nesta segunda (27), 11h, Audiência Pública no quilombo rio do Macaco

26/02/2012

 Com a participação de representantes da Secretaria Geral da Presidência da República será realizada uma Audiência Pública nesta segunda-feira (27), a partir das 11h, no interior da comunidade rural de rio do Macaco, na Baía de Aratu, ao lado da Vila Militar da Marinha do Brasil. 

   Participarão do encontro também a Secretária Nacional de Povos e Comunidades Tradicionais da Secretaria de Politicas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Silvany Euclênio; representantes de organizações da sociedade civil em defesa dos quilombolas de rio do Macaco, representações do governo da Bahia, parlamentares e de outros segmentos sociais.  Continue lendo »

Marinha cede e INCRA começa a trabalhar no rio do Macaco

20/01/2012

Depois de quase dois meses, foi superado o impasse criado pela Marinha que estava impedindo técnicos do Instituto Nacional de Colonização e Reformas Agrária (INCRA) de entrarem na área quilombola do Rio do Macaco, na Baía de Aratu, entre Salvador e Simões Filho. Ontem (19) finalmente as antropólogas responsáveis pela elaboração do Relatório Técnico de Identificação e Delimitação começaram os estudos com os agricultores.  A elaboração do documento é a primeira etapa do processo de demarcação do território tradicional e precisa ser concluído o mais rápido possível.

“Agradecemos o apoio de todas as autoridades, instituições e amigos que tem nos ajudado neste momento tão difícil”, comentou Rosimeire Silva, uma  das lideranças da comunidade.

Apesar de destravado o acesso dos técnicos do Incra à área, os quilombolas ainda estão preocupados com a decisão judicial que força o despejo das famílias, marcado para o próximo dia 4 de março.

INCRA barrado de novo pela Marinha no quilombo rio do Macaco

18/01/2012

Do Blog da AATR

Antropólogos do Incra tentaram voltara à comunidade de Rio dos Macacos, mas continuaram sem conseguir iniciar os estudos que vão compor o Relatório Técnico de Identificação e Delimitação (RTID). A elaboração do documento é a primeira etapa do processo de demarcação do território tradicional e precisa ser concluído o mais rápido possível, já que, de acordo com a determinação judicial, os quilombolas têm, que deixar o local no dia 4 de março.

Continue lendo »

Marinha impede INCRA de entrar na área quilombola

02/01/2012

O comando da Marinha na Bahia proibiu o Incra de entrar na área quilombola do rio do Macaco, na Baía de Aratu, impedindo os técnicos do órgão federal de manter contato com os agricultores e fazer pesquisas na área. A denúncia foi feita pela comunidade atingida e confirmada por técnicos que preferiram não se identificar.  O Incra montou equipe multidisciplinar para fazer o Relatório Técnico de Identificação e Delimitação do território quilombola, o qual irá subsidiar todas as ações para a regularização fundiária da área em questão. As informações que dependem de pesquisa em arquivos estão sendo levantadas pela equipe. Contudo, as informações de campo não puderam ser buscadas até agora, pois os técnicos são impedidos de entrar na área.

Moradores do Quilombo Rio do Macaco denunciam violação de direitos

30/12/2011

Canudos é aqui, entre Salvador e Simões Filho, na Baía de Aratu. Este filme mostra que a Marinha do Brasil deflagrou nesta região guerra a um grupo de famílias negras descendentes de escravos que vivem ali antes da chegada da marinha. Hoje constituem mais de 50 famílias reconhecida pela Fundação Cultural Palmares como remanescente de quilombo.

Continue lendo »

Já se inscreveu?

15/04/2011

Veja a lista de vagas  para o serviço público em 2011 na Bahia, na coluna Concursos, por Barn Abé: Fundação Estatal Saúde da Família da Bahia (FESF), Aeronáutica, Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Bahia (SJCDH), Prefeitura de Malhada de Pedras,Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB),CONDER,Marinha e Procuradoria Geral da República.

Concursos

28/03/2011

Veja aqui os últimos concursos com inscrições abertas para a Bahia.