Posts Tagged ‘raul moreira’

O emblema Cuíca de Santo Amaro

01/04/2013

Propagandista da feira

Documentário lança luz a respeito da trajetória do poeta-repórter que alimentou o imaginário popular de Salvador em seus tempos de província.

por Raul Moreira
Do Seminário Magazine

Lá pela metade dos anos 2000, separadamente, o cineasta Joel de Almeida e o jornalista Josias Pires começaram a desenvolver projetos que tinham como objetivo descortinar um personagem emblemático que alimentou o imaginário popular de Salvador no século passado, conhecido como Cuíca de Santo Amaro. E quis o destino que os dois unissem forças e transformassem os seus desejos em uma árdua pesquisa que acabou resultando em um documentário financiado pela Petrobras.

Já visto em São Paulo, no Festival É Tudo Verdade, Cuíca de Santo Amaro será projetado pela primeira vez na Bahia no Festival Cine Futuro – VIII Seminário Internacional de Cinema e Audiovisual. E, naturalmente, o filme, em película e com pouco mais de 1 hora e 15 minutos, tem importância não apenas pelo fato de se constituir um importante documento a respeito de um personagem que merecia aprofundamento, como, também, pela forma através da qual a dupla de autores o construiu. Continue lendo »

A sereia engessou

12/01/2013

canto-da-sereia

Por Raul Moreira, jornalista e cineasta, A Tarde
Quando lançou a sua primeira ficção literária, O Canto da Sereia, em 2002, resultado de suas incursões a Salvador em verões escaldantes, o jornalista e escritor pop Nelson Motta, entre outros atributos, deixou a entender que a terra dos orixás e todos os santos experimentava um surto modernizante, mas mantinha-se fiel ao seu espírito petrificado, um misto de anarquia e malemolência.

Passados pouco mais de 10 anos, eis que a microssérie adaptada do livro homônimo de Nelson Motta ganhou o horário noturno da Rede Globo e, até amanhã, salvo apagões de última hora, vai alimentar ou, quem sabe, constranger o imaginário dos telespectadores, principalmente os locais. E caso o faça, certamente não será pelo bom acabamento da obra, diga-sedepassagem, mas tão somente pelo fato de que nós, nativos, normalmente somos mais susceptíveis diante do suposto espelho. Continue lendo »