Archive for the 'por Franciel Cruz' Category

O SILÊNCIO (E O BARULHO) DOS INDECENTES (VOLUME 2)

23/02/2013

Por Franciel Cruz
Fotos: Maya Manzi

sem

Bahia, teu sobrenome é oximoro. Sim, nesta província lambuzada de dendê e de exclusão, o paradoxo sempre foi levado às últimas consequências. Aqui, tanto o barulho insuportável quanto o ensurdecedor e obsequioso silêncio servem ao mesmo fim: colaborar para a manutenção e ampliação dos seculares privilégios das poucas fortunas que convivem, inconsequentemente felizes e melancólicas, com as abundantes misérias. E, no espichado verão local, sob o sol que nos castiga, deus não existe e todos os desmantelos são permitidos. Continue lendo »

Anúncios

GOTT IST NICHT TOT

20/05/2012

Foto de Antônio Queiroz, do Correio da Bahia

Ingresia, por Franciel Cruz

20/05

Na tarde deste sábado, conforme é de conhecimento do Norte e Nordeste de Amaralina e de uma banda do Vale das Pedrinhas, o Esporte Clube Vitória estreou no Vacarezzão-2012 diante do cigano Barueri. Estreou é um modo simpático de dizer, pois quem entende um tanto assim de bola sabe que aquela insossa peleja não pode ser classificada dignamente como uma estreia.

Aliás, a única coisa digna de registro foi a narração do gol, feita de forma magistral pelo estreante locutor Márcio Melo. Às aspas: “39 minutos da segunda etapa e Riberildo, o mago, deu uma de Mandrake. Deixou de lado a sua hombridade e se doou pelo time e, num ato de extrema coragem, empinou sua bunda, que deve ser menos feia do que sua cara, nas partes baixas do zagueiro adversário. O atônito defensor do Barueri nada pode fazer – a não ser empurrá-lo pra frente e derrubá-lo na área, decretando, antecipadamente, nossa arrancada rumo ao título”.

Continue lendo »